24 Abril – Dia Internacional de Sensibilização para o Ruído

Quercus considera urgente a elaboração de um Plano Nacional de Sensibilização para o Ruído e o desenvolvimento de uma rede de monitorização de emissões de ruído à escala nacional, nomeadamente nas áreas metropolitanas de Lisboa e do Porto.

 

Numa altura em que a poluição sonora ocupa cada vez mais o espaço que deveria ser dado aos momentos de lazer e descanso, a Quercus considera indispensável a implementação de uma verdadeira política de sensibilização para a necessidade de implementação de padrões de conforto acústico urbano, e de combate à poluição sonora.

 

O ruído ambiente é uma questão de saúde pública. Reconhecido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela União Europeia (UE) como tal, a Quercus, na sua luta por um melhor ambiente e qualidade de vida das populações, pretende promover uma diminuição das emissões de ruído e uma melhoria do bem estar das populações.

 

A OMS, nas suas várias publicações (onde se destaca o Novo Guia de Ruído Ambiente para a Europa lançado em Novembro de 2018), refere que o ruído em excesso prejudica seriamente a saúde humana e interfere nas atividades diárias das pessoas na escola, no trabalho, em casa e durante o lazer. Pode perturbar o sono, causar efeitos cardiovasculares e psicofisiológicos, reduzir o desempenho e provocar respostas de aborrecimento e alterações no comportamento social.

 

De acordo com a UE, cerca de 40% da população dos países da UE está exposta ao ruído do tráfego rodoviário em níveis superiores a 55 db (A), 20% está exposto a níveis superiores a 65 dB (A) durante o dia, e mais de 30% estão expostos a níveis superiores a 55 dB (A) à noite. Em resumo, um em cada cinco europeus é regularmente exposto a níveis sonoros durante a noite que podem causar danos significativos à saúde.

 

Os efeitos dos elevados níveis de ruído na população são já bem conhecidos das entidades públicas que tutelam o Ambiente e a Saúde. Estima-se que devido ao ruído ambiente, ocorram aproximadamente 10.000 mortes prematuras por ano na Europa (estudos da OMS e da Agência Europeia de Ambiente). 20 milhões de adultos na Europa são afetados pelo ruído ambiental e 8 milhões sofrem de perturbações de sono devido a este mesmo problema. É também estimado que os elevados níveis de ruído sejam a causa de 43.000 admissões hospitalares na Europa em cada ano, assim como de 900 mil casos de hipertensão.

 

Na defesa do ambiente, da saúde e bem-estar das populações expostas, a Quercus apela ao Governo e à Agência Portuguesa do Ambiente que seja desenvolvido e implementada uma política de sensibilização contra o ruído e de combate à poluição sonora. Considera que é necessário um plano de sensibilização para o ruído que leve as populações, instituições e empresas à adoção de comportamentos, metodologias e/ou tecnologias com menos emissões de ruído.

 

À semelhança da Qualidade do Ar, a Quercus defende que deve ser desenvolvida uma rede de monitorização de emissões de ruído, no sentido de possibilitar um levantamento nacional de emissões sonoras, e deste modo delinear uma estratégia nacional de mitigação e combate à poluição sonora.

 

 

Consultar também:

 

https://www.quercus.pt/comunicados/2019-col-150/janeiro/5706-quercus-considera-inaceitavel-a-inexistencia-de-planos-de-acao-de-ruido-para-a-ponte-25-de-abril-e-ponte-vasco-da-gama

 

 

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb