BIG JUMP 2005: Quercus salta na Lagoa de Melides

A QUERCUS- Associação Nacional de Conservação da Natureza associou-se à iniciativa “Big Jump 2005” da “European Rivers Network” que decorre em toda a Europa a 17 de Julho e é coordenada em Portugal pela Liga para a Protecção da Natureza (www.bigjump.org). Esta iniciativa consiste, entre outras actividades, num salto simultâneo para a água em vários rios e lagos europeus, chamando a atenção para a necessidade de reconquistar a sua qualidade ambiental.

 

Domingo, 17 de Julho, às 13 horas, vários elementos da QUERCUS irão saltar em simultâneo para a Lagoa de Melides, em Grândola, alertando para a necessidade desta e de outros lagoas, albufeiras e rios de Portugal terem uma adequada gestão que conduza a uma melhoria substancial da qualidade da água e à promoção da biodiversidade. A Lagoa de Melides foi recentemente afectada por mais uma mortandade de peixes devido à sua má gestão e ao não desenvolvimento de medidas preventivas, apesar do alerta atempado da QUERCUS.

 

Esta actividade iniciar-se-á às 10 horas com uma visita aos locais para onde estão previstos dois mega-projectos turísticos/habitacionais (Herdade do Pinheirinho e Costa Terra) e à zona de construção clandestina (que parece substituir as barracas construídas sobre as dunas e demolidas, em 1995) próxima da Lagoa de Melides.

 

De acordo com o Sistema Nacional de Informação de Recursos Hídricos (www.inag.pt), 33,6% dos recursos hídricos superficiais monitorizados têm qualidade má ou muito má e 49% é apenas razoável. O último relatório da Comissão Europeia relativo à aplicação da Directiva 91/271/CEE (tratamento de águas residuais urbanas) refere que Portugal tratava convenientemente apenas 11% das suas águas residuais em “zonas sensíveis” e possuía a pior eficácia de tratamento (apenas 4%) da UE15. Relativamente ao tratamento das águas residuais em “zonas normais” apenas 37% era conforme as regras europeias. A percentagem total de tratamento adequado das águas residuais em “zonas sensíveis” e “zonas normais” era de apenas 34%. 

 

Portugal ainda não conseguiu cumprir as metas, estabelecidas para 31 de Dezembro de 1998, para o tratamento terciário de águas residuais urbanas em todas as aglomerações situadas em zonas sensíveis com equivalente populacional superior a 10 mil. Não conseguiu ainda cumprir as metas, estabelecidas para 31 de Dezembro de 2000, para que todos os aglomerados com equivalente populacional superior a 15 mil estivessem dotados de estações de tratamento secundário de águas residuais. E está muito mal posicionado para cumprir o prazo de, a 31 de Dezembro de 2005, possuir drenagem e tratamento apropriado de águas residuais em todos os aglomerados com equivalente populacional superior a 2 mil.

 

Lisboa, 15 de Julho de 2005

A Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

Para quaisquer esclarecimentos contactar Hélder Spínola, Presidente da Direcção Nacional da QUERCUS, 937788472 ou 964344202.

 

 

 

Share

Quercus TV

 

Espreite também o Quercus TV.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb