Quercus presente na manifestação antinuclear, em Salamanca

24 de Fevereiro – Salamanca

 

Contra a Mina de Urânio de Retortillo, localizada a 40km da fronteira portuguesa

 

 

A Quercus vai estar presente amanhã, Sábado, dia 24 de Fevereiro, a partir das 16.00h (hora portuguesa), em Salamanca, na Manifestação contra a Mina de Urânio de Retortillo, localizada a 40 km da fronteira portuguesa. Da comitiva da Associação constarão dirigentes dos Núcleos Regionais e da Direcção Nacional da Quercus. Esta manifestação é convocada pela Coordinadora “No a la Mina de Uranio” e tem o apoio do MIA – Movimento Ibérico Antinuclear, de que a Quercus faz parte. Pretende exigir que o Governo Espanhol tome medidas no sentido de não autorizar a exploração de urânio em Retortillo.

 

Uma vez mais, a Quercus, a maior associação de defesa de ambiente nacional e que segue mais de perto a temática do Nuclear desde há mais de trinta anos, vai juntar-se a diversas organizações espanholas e portugueses, tais como a AZU – Associação Ambiente em Zonas Urâniferas, que lutam pelo fim do Nuclear em Espanha. Desta feita, o objectivo do protesto, que vai decorrer amanhã em Salamanca, passa por manifestar a posição contrária à construção de uma mina de urânio a céu aberto localizada em Retortillo, a apenas 40 km da fronteira com Portugal.

 

A Quercus esteve na passada 2ª feira em Retortillo - Salamanca, a acompanhar a visita da Comissão Parlamentar de Ambiente Portuguesa aos terrenos onde a empresa Berkley pretende avançar com este projecto de abertura de uma mina a céu aberto para exploração de urânio e pode verificar que o projecto, a avançar, trará consigo inúmeros e significativos impactes ambientais para os dois lados da fronteira. O abate de cerca de 30.000 azinheiras, o risco de contaminação atmosférica com poeiras radioactivas, escorrências de materiais radioactivos que chegarão ao rio Douro e a contaminação dos solos com metais pesados são apenas alguns dos exemplos dos previsíveis impactes deste projecto nefasto para o ambiente, para a saúde pública e para as economias locais.

 

Este é mais um projecto a decorrer em Espanha, com impactes negativos em Portugal pela sua proximidade, que merece a nossa oposição e impõe uma posição firme do Governo Português. À semelhança do caso recente da construção de um Armazenamento Individualizado de Resíduos nucleares junto à Central Nuclear de Almaraz, mais uma vez o Governo Espanhol ignorou os direitos de Portugal e das suas populações. É pois necessário que o processo da mina de Retortillo seja revertido e seja realizada uma avaliação de impacte ambiental transfronteiriça, que proteja os direitos dos cidadãos de Portugal e de Espanha, e que no final do processo o Governo Espanhol não autorize a exploração de urânio em Retortillo.

 

 

O programa de dia 24 de Fevereiro

 

Do programa para o dia 24 de Fevereiro em Salamanca constará uma concentração inicial a decorrer na Plaza da Constituicón e depois, cerca das 16:00 horas (hora portuguesa), terá início a manifestação propriamente dita, que consistirá numa marcha de cerca de 2 km pela cidade, desde a Plaza da Constituicón até à Plaza Mayor de Salamanca, onde será lido e aprovado o manifesto final.

 

salamanca 24 2

 

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb