QUERCUS e APGVN pedem esclarecimentos ao Governo

Em causa, está a abertura de Concurso de admissão para ingresso de apenas 20 Vigilantes da Natureza

 

 

vigilante da naturezaA Quercus e a APGVN – Associação Portuguesa de Guardas e Vigilantes da Natureza congratulam o Governo pela abertura do concurso externo de ingresso para admissão de 20 (vinte) postos de trabalho da carreira de Vigilante da Natureza,  no entanto ao analisar o edital verificam – se várias contradições.

 

A abertura do concurso para admissão de Vigilantes da Natureza prevê o ingresso de 20 Vigilantes da Natureza contrariando a Lei n.º 42/2016 de 28 de dezembro - Orçamento do Estado para 2017.

 

No Artigo 41.º que prevê o reforço de meios humanos para a conservação da natureza e da biodiversidade pode ler-se “ 2- No ano de 2017, o ICNF, I. P., contrata, pelo menos, 50 vigilantes da natureza.”.

 

No entanto, de acordo com o Aviso n.º 1977-A/2017 faz-se menção que o provimento de 20 (vinte) postos de trabalho da carreira de Vigilante da Natureza,  está previsto no mapa de pessoal para 2017 do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas, I. P., logo se conclui que não existirá mais nenhum concurso de admissão de novos Vigilantes da Natureza, ignorando-se a Lei n.º 42/2016 de 28 de dezembro - Orçamento do Estado para 2017.

 

A Quercus e a APGVN pedem assim ao Governo que clarifique a situação e cumpra com o prometido, a contratação de 50 Vigilantes de Natureza.

 

Lisboa, 22 de Fevereiro de 2017

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb