Quercus alerta para perigo de extinção do Urso Polar provocado pelas alterações climáticas

fotopolar1Dia 27 de Fevereiro comemora-se o Dia Internacional do Urso Polar. Este animal de aparência simpática está classificado como vulnerável pela União Internacional para a Conservação da Natureza (IUCN) e estima-se que existam apenas 19 subpopulações espalhadas ao longo do círculo polar Árctico, com um número de indivíduos que ronda os 20 000 a 25 000.

 

A Quercus manifesta – se preocupada com estes dados e recorda que os Ursos polares são mamíferos altamente especializados e extremamente dependentes do gelo marinho. A vulnerabilidade desta espécie está relacionada com as repercussões do aumento da temperatura no seu habitat natural.

 

A fragmentação e a redução no gelo marinho reduzem o número de focas, principal fonte de alimento dos ursos polares, obrigando estes animais a nadar grandes distâncias, queimando grande parte das suas reservas lipídicas. Também a retração precoce do gelo marinho no Verão encurta a época de caça, traduzindo-se numa redução das reservas lipídicas acumuladas.

 

A Quercus lembra que os impactos das futuras alterações climáticas sobre o habitat natural do Urso polar representam uma forte ameaça à sobrevivência desta espécie. Análises recentes das subpopulações mostram um evidente declínio do número de indivíduos. A continuidade da degradação e fragmentação do habitat desta espécie aumentará o seu risco de extinção.

 

 

Foto da carcaça de urso polar 
(Foto: The Vanishing North / Sebastian Copeland)

É de referir também que com o degelo das calotes polares, muitos ursos têm sido encontrados afogados longe dos seus territórios naturais, vítimas do deslocamento de imensas massas de gelo que se separam acabando por derreter, deixando os ursos muito longe de algum local firme e levando a que, apesar de serem excelentes nadadores, acabem por morrer.

 

Segundo o Grupo de Especialistas em Ursos Polares da IUCN o número de indivíduos destas subpopulações decaiu cerca de 22% nos últimos 17 anos, verificando-se também uma diminuição do peso médio dos animais, assim como, um aumento da mortalidade neonatal.

 

Uma percentagem preocupante, que leva o urso polar à categoria “vulnerável” na Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza e mostra o risco elevado de se extinguir na natureza.

.

Lisboa, 26 de Fevereiro de 2016

 

A Direção da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

Share
Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb