Relatório do ICNF mostra declínio populacional em 30% dos abrigos subterrâneos de morcegos

abrigo morcegoFoi disponibilizado recentemente o relatório do que compila e analisa os dados recolhidos pelo Programa de Monitorização de Abrigos Subterrâneos de Importância Nacional de Morcegos no período de 1988-2012, uma iniciativa do ICNF – Instituto da Conservação da Natureza e da Biodiversidade. Atendendo a que os morcegos são  muito importantes nos ecossistemas e que são alvo de pouca atenção nas notícias sobre ambiente, a Quercus interpretou os dados disponibilizados e chama a atenção para a necessidade se investir mais na investigação e na conservação destes mamíferos voadores.

A Quercus lamenta que, passados mais de 20 anos sobre a publicação do Plano Nacional de Conservação dos Morcegos Cavernícolas, não existam dados mais pormenorizados sobre a variação da presença das diferentes espécies em cada abrigo e uma caracterização detalhada de cada abrigo que identifique os fatores de ameaça e as medidas tomadas para a sua preservação, situação que não ocorre ou ocorre com muitas omissões, sendo o relatório pouco esclarecedor.

A Quercus analisou o relatório de acordo com os poucos dados disponibilizados e interpreta  alguns resultados. Constata-se que atualmente estão identificados 76 abrigos de importância nacional e, em conformidade com a tendência populacional das colónias, verificou-se um decréscimo das populações de morcegos em 30% dos abrigos, um aumento da população em 20% e em 14% dos abrigos verifica-se que a população se encontra estável. Os restantes 36%, uma parte muito significativa, não apresentam dados suficientes.

Este programa, apesar de ter monitorizado 9 espécies, apenas para 4 é apresentada uma tendência populacional, sendo que as restantes estão classificadas como “indeterminada” ou “não classificada”. Das quatro espécies, o Morcego-grande-de-ferradura (Rhinolophus ferrumequinum), o Morcego-rato-grande (Myotis myotis), o Morcego-de-peluche (Miniopterus schreibersii) apresentam uma população estável, enquanto o Morcego-rato-pequeno (Myotis blythii) apresenta um decréscimo populacional. Das 4 espécies referidas, a mais representativa é o Morcego-de-peluche, tendo sido identificada em 23 abrigos, seguindo-se a Myotis myotis presente em 16 abrigos e a Rhinolophus ferrumequinum em 13 abrigos.

O morcego-rato-pequeno é a espécie menos representativa e ameaçada (já está hoje classificada como Criticamente em Perigo no Livro Vermelho dos Vertebrados), estando presente em apenas 5 abrigos e, em que 4 deles - Miranda do Douro I, Mogadouro II e Loulé I e Loulé II - a população dos abrigos diminuiu e apenas em Mondim de Bastos II se mantém estável. Examinando os dados por abrigo, destacam-se os abrigos de Miranda do Douro I, Mogadouro II, Tomar I, Ourém, Alcanena I, Moura I, Loulé I e Loulé II que apresentam um decréscimo populacional das espécies assinaladas, uma situação que deverá requerer atenção por parte do ICNF.

Este programa demonstra que, apesar do esforço efetuado, em particular entre 2006 e 2012, existem lacunas de conhecimento sobre a maioria das espécies que ocupam abrigos subterrâneos, que existe uma percentagem muito significativa de abrigos que registam um preocupante decréscimo populacional (30%) e que existe uma espécie – o Morcego-rato-pequeno que deve ser objeto de particular atenção e de um plano específico de monitorização e de conservação, sob pena, se nada for feito para contrariar a tendência, de vir chegar a uma situação de pré-extinção.

A Quercus chama também a atenção do ICNF para a necessidade de preparar convenientemente um novo programa que aproveite os recursos financeiros do Fundo de Coesão (POSEUR), de modo a melhorar a qualidade dos dados recolhidos e o conhecimento científico sobre estas espécies, para que não fique refém de dados obtidos apenas no âmbito de projetos sujeitos a avaliação de impacte ambiental que possam ter reflexos negativos expectáveis sobre as espécies de morcegos, nomeadamente os que estão associados à produção de energia (parques eólicos, barragens, linhas elétricas).

É também importante que se investigue com maior profundidade os efeitos diretos e indiretos dos inseticidas nos morcegos e deve …também ser preparado um programa de aquisição/expropriação/contratualização de terrenos privados onde estão presentes os abrigos de importância nacional essenciais à preservação das espécies mais ameaçadas, incluindo eventualmente  algumas áreas de alimentação mais importantes.


Lisboa, 1 de Abril de 2014

A Direção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza


 

 

Share

 

Quercus TV

 

 

                            

 

Mais vídeos aqui.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb