Quercus aplaude novos Sítios Ramsar classificados em Portugal e lamenta nova zona industrial prevista na Ria de Aveiro

ria aveiroPor ocasião do Dia Mundial das Zonas Húmidas, que se assinala a 2 de Fevereiro, a Quercus vem congratular-se pela classificação da Pateira de Fermentelos, em Águeda e da Ribeira do Vascão, no Vale do Guadiana, como Zonas Húmidas de Importância Internacional pelo Comissariado Internacional da Convenção de Ramsar1.

 

Estas duas mais-valias de grande importância para a conservação da Natureza passam assim a integrar a lista de Sítios Ramsar classificados em Portugal – 30 no total - abrangendo 132.471 hectares.

 

A Pateira de Fermentelos já integrava a Rede Natura 2000 (Zona de Proteção Especial da Ria de Aveiro), sendo considerada a maior lagoa natural da Península Ibérica. Sítio de grande sensibilidade ambiental, rico em habitats e ecossistemas diversos, a Pateira tem vindo a ser alvo de um programa de requalificação, em curso desde 2006, que tem procedido à sua limpeza e da área envolvente, bem como à remoção de infestantes exóticas.

 

Por seu turno, a Ribeira do Vascão destaca-se por albergar grandes concentrações de espécies de peixes de água doce ameaçadas, de que são exemplos o Saramugo (Anaecypris hispanica), a Enguia-europeia (Anguilla anguilla) e a Lampreia-marinha (Petromyzon marinus). Esta classificação contribuirá, certamente, para uma melhor conservação e valorização da fauna, flora e habitats que ocorrem nesta área.

 

No entanto, aproveitando esta data simbólica, a Quercus lamenta que continue prevista a construção de uma nova zona industrial nas margens da Ria de Aveiro (concelhos de Ílhavo e Aveiro) que ocupará cerca de 35 hectares, cuja maior parte são solos agrícolas retirados à Reserva Agrícola Nacional. A concretizar-se este empreendimento a que foi dado o nome de "Parque da Ciência e Inovação" haverá uma clara pressão imobiliária sobre os terrenos situados junto à Ria de Aveiro.

 

Mais ainda, esta zona industrial poderia ser construída no concelho de Vagos, para onde aliás já esteve prevista, numa zona de eucaliptal onde não teria qualquer impacte negativo sobre a Ria de Aveiro.

 

Lisboa, 1 de Fevereiro de 2013

 

A Direção Nacional da Quercus - Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 


 

1 - O que é a Convenção sobre Zonas Húmidas

 

A Convenção sobre Zonas Húmidas constitui um tratado inter-governamental, adoptado a 2 de Fevereiro de 1971, na cidade iraniana de Ramsar. Por esse motivo, esta Convenção é geralmente conhecida como "Convenção de Ramsar", e representa o primeiro dos tratados globais sobre conservação. A Convenção entrou em vigor em 1975 e conta atualmente com 150 países contratantes em todos os continentes. Portugal ratificou esta Convenção em 1980, tendo como obrigações:
- Designar zonas húmidas para inclusão na Lista de Zonas Húmidas de Importância Internacional. Estes sítios são reconhecidos a partir de critérios de representatividade do ecossistema, de valores faunísticos e florísticos, e da sua importância para a conservação de aves aquáticas e peixes.
- Elaborar planos de ordenamento e de gestão para as zonas húmidas, com vista à sua utilização sustentável.
- Promover a conservação de zonas húmidas e de aves aquáticas, estabelecendo reservas naturais e providenciar a sua proteção apropriada.

 

 

 

 

 

Share

 

Quercus TV

 

 

                            

 

Mais vídeos aqui.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb