SIMARSUL é a primeira empresa a subscrever um compromisso voluntário de redução com a Quercus

A SIMARSUL, empresa do Grupo Águas de Portugal, concessionária da gestão e exploração do Sistema Multimunicipal de Saneamento de Águas Residuais da Península de Setúbal, é a primeira empresa portuguesa a subscrever um compromisso de redução e compensação da pegada ecológica com a Quercus, para os próximos cinco anos.

 

Passada a primeira fase de avaliação da pegada ecológica, processo que se concluirá até ao final de 2009, a SIMARSUL compromete-se a implementar um plano de redução que visa a melhoria contínua, nomeadamente através da promoção da eficiência dos recursos, das energias renováveis e do investimento em “capital natural”, preservando com a Quercus uma zona húmida de importância internacional: a Lagoa Pequena (situada junto à Lagoa de Albufeira).

 

O Compromisso SIMARSUL

 

A SIMARSUL, reconhecendo que pode afectar, de forma positiva ou negativa, os bens comuns, assume voluntariamente o compromisso de redução do seu impacte ambiental e o dever de cuidar da atmosfera, da hidrosfera e da biodiversidade. Neste sentido, a empresa com o apoio da Quercus, realizou um diagnóstico da sua pegada ecológica, o qual caracterizou os seus impactes ambientais, e está a elaborar um plano de redução que apostará na resolução ou mitigação dos impactes ambientais detectados e caracterizados no diagnóstico efectuado. A Quercus irá ministrar acções de sensibilização e formação aos colaboradores da SIMARSUL com vista à implementação do programa e acompanhará a execução do plano de redução. A componente de reposição ou contra-pegada prevê investimentos em conservação e recuperação de ecossistemas, que serão implementados na Lagoa Pequena, numa lógica de compensação em metros quadrados ou hectares. No primeiro trimestre do próximo ano serão apresentados os primeiros resultados desta parceria.

 

Cuidar da atmosfera, da hidrosfera e da biodiversidade na Lagoa Pequena

 

As acções de contra-pegada deverão iniciar-se em Agosto/Setembro e incidirão na conservação da Lagoa Pequena (uma parte de uma lagoa costeira importante na costa da Península de Setúbal - a Lagoa de Albufeira), espaço classificado como Sítio e Zona de Protecção Espacial para Aves da Rede Natura 2000 e que também pertence à Lista de Zonas Húmidas da Convenção de Ramsar. A montante da Lagoa Pequena ocorre uma extensa área palustre, separada da lagoa por um dique e alimentada pelas ribeiras da Apostiça e da Ferraria. Esta zona palustre é dominada pelo caniçal, por um salgueiral paludoso e também por algumas áreas abertas de água doce, onde as aves aquáticas nidificantes, como a Garça-vermelha (Ardea purpurea), o Garçote (Ixobrychus minutus), o Camão (Porphyrio porphyrio) e também um grande número de passeriformes encontram condições essenciais à sua sobrevivência durante a passagem Outonal nas suas migrações.

 

De entre as acções de conservação activa dos habitats, são de destacar: a identificação, sinalização e restauração das áreas de galeria ribeirinha, melhoramento do salgueiral na Lagoa e na ribeira da Apostiça; acções de desassoreamento, recuperação do dique e instalação de uma comporta; construção de ilhas com as areias provenientes das escavações e do desassoreamento; tratamento das áreas de caniço; e identificação, sinalização e protecção das áreas de ocorrência de algumas espécies botânicas protegidas, tais como a Armeria rouyana e Linaria ficalhoana.

 

De salientar que as zonas húmidas encontram-se entre os ecossistemas mais valiosos do planeta e prestam cerca de 10% do valor total dos serviços ecológicos essenciais à vida na Terra, como o sequestro de CO2, a conservação de biodiversidade, a regulação do ciclo da água, a retenção do solo, a formação do solo, o tratamento de resíduos e efluentes, a preservação de recursos genéticos, a regulação do ciclo de nutrientes e a recreação.

 

A Quercus, através da subscrição de compromissos semelhantes, agora celebrado com a SIMARSUL, pretende que os serviços prestados pelos ecossistemas e toda a actividade que realize a manutenção e restauração dos mesmos se traduzam num activo económico contabilizável, criando uma nova fórmula de medir o desenvolvimento económico e o seu impacte ambiental, aplicável a cidadãos, empresas e países, que não confunda depreciação da biosfera com desenvolvimento.

 

 

Lisboa, 28 de Julho de 2009

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 

 

A SIMARSUL, S.A., constituída em 8 de Novembro de 2003, é uma sociedade anónima que tem como accionistas a Águas de Portugal - SGPS, S.A. e os Municípios de Alcochete, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

O Sistema Multimunicipal abrange uma área total de 1.450 km2 e prevê a construção e beneficiação de um conjunto de infra-estruturas que permitirão aumentar o nível de atendimento em drenagem e melhoria do tratamento de águas residuais da população da Península de Setúbal, contribuindo, assim, para preservar a qualidade do ambiente e dos recursos hídricos e melhorar a qualidade de vida na região.

Para execução destes projectos a SIMARSUL dispõe de um plano de investimentos de 180,8 milhões de euros, para o período de 2004-2011, com co-financiamento do Fundo de Coesão da União Europeia, no valor de 47,4 milhões de euros.

 

 

 

Share

Quercus TV

       

 

Espreite também a Quercus TV.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb