Entulhos | Quercus apresenta uma solução para a reutilização e reciclagem destes resíduos

A Quercus participa hoje, dia 12 de Abril pelas 16 horas, na inauguração de uma Central de Reciclagem de Resíduos de Construção e Demolição em Lameiras, na freguesia de Pêro-Pinheiro (Sintra). Uma iniciativa que permitirá responder ao problema do abandono de resíduos no concelho de Sintra, bem como em toda a Grande Lisboa.

 

A Quercus participa hoje, dia 12 de Abril pelas 16 horas, na inauguração de uma Central de Reciclagem de Resíduos de Construção e Demolição em Lameiras, na freguesia de Pêro-Pinheiro (Sintra). Uma iniciativa que permitirá responder ao problema do abandono de resíduos no concelho de Sintra, bem como em toda a Grande Lisboa. 

 

Esta unidade foi projectada de raiz com o intuito de promover a reutilização dos RCD – Resíduos de Construção e Demolição (vulgarmente conhecidos por “entulhos”), através da aplicação de técnicas e metodologias de triagem e reciclagem que resultam na obtenção de produtos finais passíveis de valorização. 

 

Entre estes produtos serão produzidos agregados reciclados que poderão ser utilizados na construção de aterros, na regularização de caminhos ou no enchimento de valas. Os restantes materiais separados durante o processo de triagem (plásticos, madeira, papel, metais e vidro) serão encaminhados para operadores licenciados para serem também reciclados. Dadas as características da sua composição, os RCD apresentam a particularidade de poderem ser reciclados e reaproveitados na ordem dos 80 a 95%. 

 

Esta solução apresenta-se como mais uma resposta especializada e adequada para a gestão dos resíduos provenientes das empresas de construção civil e obras públicas, à semelhança do que tem vindo a ser desenvolvido em muitos países Europeus, já há alguns anos 

 

Estima-se que actualmente a produção de RCD, vulgarmente designados por entulhos, seja superior a 4 400 000 ton (1) (equiparável à produção dos RSU – Resíduos Sólidos Urbanos). Deste total, cerca de 95% são conduzidos para deposição em aterros ou encaminhados através de empresas não licenciadas que oferecem preços convidativos, conduzindo a situações de manuseamento incorrecto e deposição ilegal de resíduos. Esta realidade não só enfraquece economicamente os operadores que laboram de forma adequada, como conduz a situações com elevados impactes ambientais (na paisagem, solos e água) e sociais. 

 

O actual quadro legislativo não promove a gestão adequada deste fluxo. É fundamental introduzir uma estratégia de actuação que adopte medidas de boas práticas ambientais durante o ciclo de vida do edifício, em especial na fase de construção. Estas medidas assentam numa triagem e reutilização no local de produção, no encaminhamento dos resíduos para operadores licenciados, na uniformização das unidades de reciclagem para a valorização de todas as fileiras e preparação de agregados reciclados, na redução da deposição destes resíduos em aterro e no incentivo à sua reutilização. 

 

Estas medidas foram consideradas numa proposta de legislação, que se encontra em análise, há cerca de 1 ano, na Secretaria de Estado do Ambiente (SEA), depois de mais de 2 anos de preparação no Instituto dos Resíduos. 

 

Lembramos que actualmente o LNEC já publicou Especificações Técnicas (2) para a utilização dos RCD na produção de material para agregados de betão, na produção de material para aterros, na produção de material para sub-base e base de estradas e na produção de material para misturas betuminosas. No entanto, esta publicação não foi acompanhada de uma campanha de promoção da sua utilização em obra. Este exemplo poderia vir das obras públicas, através da sua referência nos Cadernos de Encargos. 

 

A gestão dos RCD com vista à sua reutilização é uma prática comum em muitos países Europeus, já há alguns anos. Esta estratégia reduz a utilização de recursos naturais e possibilita a reutilização e reciclagem de resíduos. Torna-se urgente a publicação do diploma que se encontra em apreciação na SEA, essa demora penaliza os operadores licenciados e fomenta a má gestão diária dos RDC. 

 

 

Lisboa, 12 de Abril de 2007

 

------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------ 

 

Para mais informações: 

(1) Estimativa realizada no âmbito de um relatório conjunto entre a Quercus e o IST – Instituto Superior Técnico. Relatório completo em: 

Resíduos de Construção e Demolição: Estratégia Para Um Modelo de Gestão 

Autor: João Ruivo, João Veiga 

Ano: 2004 

http://www.netresiduos.com/cir/relatorios/rc_d2004.zip 

 

(2) http://www.netresiduos.com/cir/comunicados/normasTecnicasRCD_inr.zip 

(3) Localização da empresa hoje inaugurada:

 

Instalações Industriais da ECOLABOR: 

Av. Da Aviação Portuguesa, 

Fação, Lameiras, 2715 - 020 Pêro – Pinheiro 

(a seguir à entrada para a Base Aérea n.º 1) 

Tel. 21 967 36 33 / 21 967 36 35 

Mapa disponível em: http://www.netresiduos.com/cir/contactos/fichas/ecolabor.htm

 

 

 

Share

Quercus TV

       

 

Espreite também a Quercus TV.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb