30 praias avaliadas pela Quercus entre Ovar e Marinha Grande - o muito que ainda há por fazer

No período compreendido entre os dias 23 e 27 de Agosto a Quercus – A.N.C.N. procedeu à realização de uma visita às praias pertencentes à área do Plano de Ordenamento da Orla Costeira (POOC) de Ovar - Marinha Grande. No referido troço foram visitadas 30 praias procedendo-se à avaliação de cerca de 40 itens por praia.

 

Embora nesta semana as condições climatéricas tenham em geral sido adversas à prática balnear, foi possível reunir um importante conjunto de informações que revelam graves problemas ao nível das condições de algumas praias, os quais se passam a identificar.

 

Análise geral às praias visitadas

 

Regra geral a sinalização é deficitária: ex. estando num determinado ponto da praia não é possível saber para que lado são os sanitários, telefones públicos ou os postos de primeiros socorros, as placas de interdição a cães são inexistentes ou quando existem não estão em todas as entradas da praia, etc.

 

Os acessos para deficientes são praticamente inexistentes ou quando existem estão em mau estado de conservação só permitindo o acesso ao início do areal. Nestes casos não é possível a um deficiente em cadeira de rodas chegar pelo menos a meio do areal. No que respeita às condições oferecidas a deficientes, destacam-se, pela positiva, as praias do Relógio (Figueira da Foz), Pedrógão Centro (Pedrógão Grande) e Costa Nova (Ílhavo).

 

Relativamente à existência de informação temática sobre a importância dos valores naturais (conservação das dunas, fauna e flora, floresta envolvente, etc.), esta é inexistente em cerca de 90% das praias visitadas. Nesta matéria, a praia de Pedrógão Centro destaca-se pela positiva de todas as outras na medida em que possui informação muito relevante facilmente disponível ao público. Assim, no que toca à conservação dos valores naturais da área envolvente às praias, embora praticamente todas possuam passadiços e paliçadas de protecção colocados pela CCDR Centro, existindo painéis com o alerta de Não pise as Dunas, em praticamente todas elas ocorre pisoteio intenso e por vezes tráfego de veículos nas dunas e zona interdunar.

 

Regra geral, dadas as orientações do POOC, os equipamentos/bares de apoio à praia são novos e apresentam-se em boas condições de higiene. Neste item, pela negativa, refere-se a praia de Pedras Negras em S. Pedro de Moel na qual se observou a presença de lixo na envolvente ao bar e dunas.

 

Quanto à existência de contentores de lixo nas praias, cerca de 90% possuem contentores em número suficiente os quais são regularmente esvaziados. A excepção foi mais uma vez a praia das Pedras Negras na qual os contentores do lixo presentes na praia e parque de estacionamento se encontravam atafulhados de lixo e a cheirar mal.

 

A maioria das praias não possui eco pontos. Muito poucas têm eco pontos na praia ou imediatamente junto ao acesso (ex. Vagueira, Relógio, Osso da Baleia, Pedrógão Centro) e apenas algumas possuem eco pontos municipais na marginal junto à praia.

 

Quanto ao estacionamento muitas deles possuem parques de estacionamento por detrás da duna embora na maioria dos casos estes não se encontrem ordenados pelo que o caos é inevitável, sendo frequente o estacionamento a bloquear os acessos à praia. Nas praias urbanas o estacionamento faz-se nas principais artérias das povoações sendo frequente o estacionamento em cima dos passeios. Nestes locais, ao fim da tarde o caos no trânsito é muito significativo (ex. Barra, Costa Nova, Vieira, Figueira da Foz).

 

No que respeita à informação sobre a qualidade da água algumas praias não possuem qualquer tipo de informação exposta de forma visível, havendo inclusivamente casos em que os painéis informativos se encontram danificados.

 

Praias não concessionadas

 

No troço em análise foram visitadas 3 praias não concessionadas (Torrão do Lameiro - Murtosa, S. Jacinto - Aveiro e Areão - Vagos). Como é natural nestas praias não existe qualquer tipo de equipamentos sendo urgente proceder ao seu ordenamento. O caso da praia do Areão é gritante na medida em que é uma praia bastante procurada sendo nítido o impacte da actividade balnear sobre a degradação do cordão dunar. 

 

O pisoteio é intenso e os veículos são estacionados na Duna. Desta forma, é imperativo a realização do plano de pormenor desta praia. A praia de São Jacinto é a única destas praias que apresenta paliçadas de protecção às dunas, passadiço sobre elevado de acesso à praia e informação bem visível informando que se trata de uma praia não vigiada e da necessidade de conservação do cordão dunar.

 

Praias Bandeira Azul

 

Da análise particular efectuada apenas às praias que possuem bandeira azul (Furadouro, Costa Nova, Barra, Tocha, Mira, Relógio e Osso da Baleia) estas em regra cumprem com os critérios estipulados (educação ambiental afixada, análises da qualidade da água, regras de conduta na praia, etc). 

 

No entanto, em algumas destas praias a sinalização é deficiente. Embora todas possuam um painel informativo junto ao mastro da bandeira com afixação de um mapa da praia com a legenda que indica onde se localizam os vários equipamentos e apoios, o mapa é pequeno e de leitura difícil sobretudo para quem não conhece bem os limites da praia. Nestas praias tal como nas restantes, faz falta sinalética vertical que indique, a partir dos vários pontos da praia, a localização dos diferentes equipamentos (casas de banho, telefone de emergência, local de prestação de primeiros socorros, etc.)

 

Conclusão

 

Da análise efectuada concluiu-se que muito há ainda a fazer relativamente à qualidade das praias no troço entre Ovar e Marinha Grande. 

 

O Ministério do Ambiente encontra-se a fazer a sua parte no que respeita ao sistema de protecção dunar (paliçadas, passadiços sobre elevados) sendo urgente as obras de ordenamento das praias do Areão eTorrão do Lameiro. 

 

No que respeita às Câmaras Municipais, estas têm que fazer muito mais sobretudo ao nível da instalação de equipamentos de apoio, nomeadamente equipamentos para deficientes, eco pontos e sinalética de praia. Não basta arranjar as marginais, fechar o trânsito e construir pistas cicláveis.

 

Aveiro, 18 de Setembro de 2004,

A Direcção do Núcleo Regional de Aveiro, e

A Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza.

 

 

 

Share

 

Quercus TV

 

 

                            

 

Mais vídeos aqui.

 

 

Quercus ANCN ® Todos os direitos reservados
Alojamento cedido por Iberweb