Destruição de Floresta Mediterrânica na construção de estradão ilegal em Alburitel

Escavadora CarfemaA Quercus vem alertar para a destruição de floresta mediterrânica, com a abertura de um novo estradão inserido em Reserva Ecológica Nacional, na freguesia de Alburitel, em Ourém.

A Quercus teve conhecimento da destruição de uma zona de floresta mediterrânica numa área, dominada por azinhal e carrascal, com medronheiros e outras espécies de arbustos autóctones. Em causa está a abertura de um novo estradão, com cerca de 500 metros de extensão no baldio da serra de Alburitel, para acesso à pedreira “Cabeço do Cão” promovida pela empresa Carfema, Lda, com aval indevido da Junta de Freguesia de Alburitel.


Toda a área está integrada na Reserva Ecológica Nacional (Áreas estratégicas de proteção e recarga de aquíferos) e no Corredor Ecológico Estruturante - Estrutura Regional de Protecção e Valorização Ambiental (ERPVA) do Plano Regional de Ordenamento do Território – Oeste e Vale do Tejo (PROT-OVT) entre o Maciço Calcário Estremenho e Sicó-Alvaiázere.

A pedreira do Cabeço do Cão, esteve em Avaliação de Impacte Ambiental, mas não foi avaliado o trajeto de expedição que agora está a ser construído ilegalmente, com destruição de floresta mediterrânica, incluindo azinheiras protegidas.

Dada a gravidade da situação a Quercus alertou as autoridades, nomeadamente o SEPNA da GNR, a CCDR-LVT e a Câmara Municipal de Ourém para promoverem o embargo da obra e reposição da situação anterior, responsabilizando a Junta de Freguesia de Alburitel pela gestão danosa do património comunitário do baldio sob sua administração.

Ourém, 25 de março de 2015

A Direção Nacional e a Direção do Núcleo Regional do Ribatejo e Estremadura da Quercus

 


 

Abertura acesso REN

 

Azinheiras abatidas

 

Escavadora Carfema

 

Fotografias: Domingos Patacho

 

 

Share
Quercus ® Todos os direitos reservados
Site criado por PTWS Alojamento Web e WebDesign