Quercus lança programa de comemorações dos 25 anos e apresenta 25 espécies, 25 prioridades de conservação

A Quercus – ANCN comemora, em 2010, um quarto de século de existência. Para assinalar a data, está agendado um conjunto de eventos que se distribuirão ao longo do ano. Desde seminários a colóquios, do reforço da ligação aos seus associados e apoiantes à realização de um Congresso Nacional, vários serão os momentos para festejar, mas também para preparar a futura intervenção da Quercus.

 

Aproveitando o facto de dia 22 de Maio ser o Dia Internacional da Biodiversidade, a Quercus inicia o seu programa de comemorações dos 25 anos apresentando aquelas que são as suas 25 prioridades em termos de conservação da natureza.

 

O trabalho da Quercus na área da Biodiversidade

 

A Quercus tem assumido uma postura activa na conservação da biodiversidade, implementando projectos de conservação dirigidos às espécies mais ameaçadas da fauna e da flora de Portugal. Este trabalho tem sido desenvolvido com o apoio técnico e científico do Centro de Biociências do ISPA – Instituto Universitário e de outras instituições científicas. Estas intervenções têm obtido sucessos relevantes, tendo já garantido a sobrevivência de várias populações de espécies ameaçadas de extinção.

 

Face ao sucesso obtido, a Quercus ANCN pretende proceder à divulgação pública da sua experiência, para que esta possa ser repetida por entidades públicas e privadas. No quadro de uma perda da generalidade da biodiversidade, em Portugal, na Europa e no Mundo, a Quercus ANCN apela à Administração Central e Local, entidades privadas e associações de cidadãos para que unam esforços para garantir a conservação da Biodiversidade.

 

Neste Ano Internacional da Biodiversidade, e não obstante os sucessos verificados na preservação de espécies criticamente em perigo como a Freira da Madeira, o Priôlo, a Foca-monje, e do caminho positivo que se está a iniciar com o Lince-ibérico, é hoje reconhecido que foi insuficiente o esforço de mobilização da nossa Administração Pública e da sociedade civil para a execução das medidas necessárias para travar a perda de biodiversidade até 2010. Neste cenário em que a Quercus procurou sempre dar o seu contributo, os nossos esforços foram essencialmente dirigidos para a conservação de peixes endémicos e aves criticamente em perigo e para a salvaguarda de populações de espécies da flora.

 

- Espécies de peixes como a Boga-portuguesa, o Ruivaco do Oeste, os Escalos do Mira e do Arade e a boga do Sudoeste estão a ser objecto de um programa de reprodução em cativeiro, que culminará com a sua reintrodução após a realização de acções de reabilitação de cursos de água.

 

- No âmbito do projecto Linhas Eléctricas e Aves, a Quercus contribuiu para reduzir a mortalidade directa por colisão e electrocussão que afecta mais de 154 espécies de aves, 25% das quais com estatuto de ameaça.

 

- No capítulo da flora, a Linaria (Linaria ricardoi) e o Narciso-de-trombeta (Narcissus pseudonarcissus subsp. nobilis) foram objecto de acções concretas dirigidas à sua conservação.

 

25 espécies: 25 prioridades de conservação

 

Como este esforço tem que ser continuado nos próximos anos, a Quercus, através de um exercício simples, elencou um conjunto de 25 espécies - 13 de vertebrados e 12 da flora vascular - que deverão ser objecto de intervenção prioritária para a sua salvaguarda por parte da nossa Associação ou por outras entidades. Embora a Associação tenha interesse em futuramente encetar projectos de conservação de invertebrados, briófitos (musgos, hepáticas, antocerotas) e líquenes, estes grupos ficaram fora desta lista, pois o conhecimento científico que sobre eles existe actualmente é muito insuficiente.

 

Numa breve antevisão da lista que a Quercus vai divulgar no dia 22 de Maio, no âmbito da cerimónia de apresentação do “Programa de Comemoração dos 25 anos da Quercus”, que decorrerá durante um passeio de barco no rio Tejo, podemos referir que algumas das espécies da flora para as quais já estão a ser dirigidos esforços de conservação (ou deverão sê-lo a curto prazo), são o Narciso do Algarve (Narcissus willkommi), o Miosótis-das-praias (Omphalodes kuzinskyanae) ou a Leuzea (Leuzea longifolia). No que respeita à fauna merece destaque o Saramugo, peixe endémico da bacia do Guadiana.

 

A Quercus está também a avaliar, em conjunto com a ALFA – Associação Lusitana de Fitossociologia - a possibilidade de canalizar esforços de intervenção para a preservação de espécies endémicas ameaçadas e dos seus habitats nas regiões autónomas dos Açores e da Madeira, tais como a camarinha dos Açores (Corema azorica), o trevo-de-quatro-folhas dos Açores (Marsilea azorica), o dragoeiro (Dracaena draco) ou a trevina de Porto Santo (Lotus loweanus). É importante referir que proteger as espécies ameaçadas só é possível se protegermos os respectivos habitats, encontrando-se muitos deles sujeitos a fortes pressões que estão a levar à sua degradação.

 

A Quercus, com a apresentação desta lista, quer chamar a atenção para a necessidade de se promover, com urgência, a conservação activa das espécies e habitats ameaçados para travar a perda de biodiversidade nos próximos anos, sem esquecer que continua ser imprescindível aprofundar o conhecimento científico sobre o nosso património natural.

 

O programa de comemorações dos 25 anos da Quercus

 

No sentido de facilitar o conhecimento sobre o programa de comemorações dos 25 anos da Quercus, estará disponível (a partir de dia 22) um espaço no sítio na Internet da Quercus (http://25anos.quercus.pt).

 

As comemorações dos 25 anos contam com o apoio de vários mecenas, nomeadamente: Continente; Vodafone; REN; Valorpneu; Resitejo; FLAD; Portway; Indaqua; Microsoft; Renova; Trantejo, Grupo GCI; Miosótis e Delta.

 

 

Lisboa, 20 de Maio de 2010

 

A Direcção Nacional da Quercus – Associação Nacional de Conservação da Natureza

 

 

 

Share

Quercus TV

 

Espreite também o nosso Canal no VIMEO.

Quercus ® Todos os direitos reservados
Site criado por PTWS Alojamento Web e WebDesign